22/08/2013

A Bagunça Do Meu Coração

Ei, moço.
Vem cá.
Entra aqui, mas entra devagarinho.
Não repara a bagunça não, moço.
Mas é que há tempos que não arrumo isso aqui.
Mas moço, se você quiser, me ajuda aqui.
Está bagunçado demais, eu bem sei.
Há tempos eu espero por você.
Moço, esses teus olhos, moço.
Eles me encorajam, me alegram, me prendem.

Não sai mais não, moço.
Fique assim, juntinho, unido.
A bagunça chegará ao fim, ficará tudo lindo, tudo limpo, tudo nosso, tudo teu!

0 comentários:

Postar um comentário

 
Book e Cofee Copyright 2014 ©
Designe By
- Kris Monneska Conversas de Alcova