18/12/2013

Minha mãe amiga

Ela me olhou nos olhos, riu pra mim e disse: EU SEMPRE SOUBE QUE VOCÊ ERA LOUCA, NEGA.
Eu ri e agradeci por ela ser companheira e compreensiva...

Amigas? Mais que mãe e filha, nosso relacionamento nunca foi maternal e sim fraternal, talvez por isso nos damos tão bem.
Há um tempo, algumas coisas machucaram profundamente minha alma, mas o fato dela nem se importar, nem me julgar, nem tampouco apontar o dedo me fez esquecer essas coisas. Poder correr pro colo dela e ela apenas brincar com a situação, me fez ter mais força.
Lembrar o olhar dela quando contei tudo naquele sábado 14 de Dezembro e ela parar no meio da rua, me olhar e dizer: TÔ PASSADA, MENINA. Me fez ter a reação mais louca do mundo, o que achei que ela iria fazer, gritando, me julgando e me odiando morreu no momento que ela voltou a andar e segurou meu braço me perguntando 'como foi isso'.
Passar até as 2h da manhã contando tudo que aprontei e ela em nenhum momento me condenar foi a melhor sensação do mundo e eu pude notar uma coisa: amor de mãe não tem limites.
Hoje ela só se preocupa com a consequência vinda do ato e não com o ato em si... Obrigada, mãe. Por me fortalecer tanto nesses últimos dias!

1 comentários:

 
Book e Cofee Copyright 2014 ©
Designe By
- Kris Monneska Conversas de Alcova