01/07/2014

Encontro (breve) com o passado

Ninguém vive de passado, nem esperando migalhas do que já viveu. Isso é um fato.
De repente você se olha no espelho e percebe que já se passaram, não um, mas três anos, de um dos mais loucos anos da sua vida. Do ano em que houve provas de quem são seus ou quem não é... Bom, era o que achava até ontem.
Reencontrar com alguém do passado nada mais é que um tapa na sua cara, provando que o que ficou no passado deve ficar lá, e você deve agradecer aos Deuses por ter se livrado de algumas coisas. O que mais marcou esse certo passado foram palavras de pessoas que eu julgava amigos, que apoiou e levou o astral quando uma parte do mundo desabou. Então sobre seu passado, você descobre que só é passado pra você, que pessoas que tanto falavam, tanto se diziam estar do seu lado, são amigas desse passado. E uma coisa é certa, meu caro, ouvir ''Mas eu sempre falo com fulano'' e você revidar com ''Mas fulano te odeia'' e ter como resposta ''Isso quando nós terminamos, hoje fulano é meu amigo'' te deixa cheia de interrogações na cabeça. Amizade? Até que ponto certos colos e abraços foram sinceros? Desaprovação fraternal faz parte, e fazem mal também, mas há uma coisa chamada sorriso, e isso, não tem arma melhor.
Me polpe de falsidade, me polpe de ''Tô com você'' que essa eu não engulo mais.

0 comentários:

Postar um comentário

 
Book e Cofee Copyright 2014 ©
Designe By
- Kris Monneska Conversas de Alcova