19/01/2015

Eis que me ergo

Beber saudade com doses cavalares destroe os órgãos e matam aos poucos.
A morte lenta é sempre a saída mais angustiante que pode existir... Voltando a falar sobre saudades, aaah as dores que elas causam, já falei que matam? E matam aos poucos? Bom, pouco me importa de morrer, pois a saudade sempre tem hora para acabar, aqui e ali ela tem fim, e o fim é bom, e ruim... Basta apenas saber finda-los de modo que acabe num riso. E será que isso é possível? Bom, pouco me importa mesmo. Aliás, ultimamente tudo vem me importando pouco ou quase nada. A única coisa que importa-me por esses dias é amar!

1 comentários:

  1. Podemos parar por aqui? Talvez neste instante, antes que o som da solidão invada meu quarto. Acho que não estou preparado para viver amanhã.

    ResponderExcluir

 
Book e Cofee Copyright 2014 ©
Designe By
- Kris Monneska Conversas de Alcova