19/05/2015

Um Dia De Paz

No último Domingo, passei o dia com alguns amigos e meu esposo, na cidade de Barreiros. Entre litoral e zona da mata de Pernambuco.
O local era uma pousada que foi cenário para as fotos de formatura de dois dos meus amigos. Pude ainda ser maquiadora (haha) e aproveitei bem o dia.
Apesar de estar bem doentinha. O dia foi perfeito e emocionante. E é disso que eu gosto!
Mas vamos parar de falar e vamos as fotos?



6:30h da manhã na cidade de Palmares


Já em Barreiros, transformando esposo em pernambucano de vez!













18/05/2015

Vida

E a vida se renova a cada gota de chuva que cai.
É um motivo para nascer.
 Pois o sol brilhante que aquece, logo logo vai chegar...

17/05/2015

Dia bom

Bate o sono forte, bate também a chuva na janela.
Vem lá de baixo um  cheiro de chocolate quente, esse cheiro toma a casa.
Não quero acordar, mas também não quero dormir. Quero ficar aqui, nesse lugar com paz, amor e chocolate quente. A cada ângulo que olho, vejo afeto, vejo amor e vejo mato molhado. A chuva não sessou a noite inteira, então o verde está vivo e o cheirinho de água com mato deixa tudo mais lindo. Meus lençóis tem um perfume gostoso, tem calor e tem meu corpo. É desses pequenos prazeres que não abro mão na vida.

16/05/2015

A música

Tento tanto achar saídas certas, tento achar refúgio. Acho as vezes através da minha meditação, acho por inúmeras vezes no lugar para onde meu corpo me leva. Consigo me desligar, me monitorar e sorrir.
Eu ando buscando canos de escapes mais eficazes, tenho até achado... Num abraço apertado no meio da noite, num miado baixinho perto do ouvido e num sorriso sincero e olhar acolhedor. Mas minha paz na, na maioria das vezes, está nas músicas que desconheço nome, mas conheço a paz que traz.

15/05/2015

Mais e mais

Parte de mim é amor, mas tem uma outra grande parte que deve amar...
Eu preciso aprender mais, a ser mais forte, mais confiante e mais amorosa.
Preciso ser mais eu, mais amável e mais amor.
Preciso de mais sorrisos e uma vida repleta de cor!

Lúpus... Ele venceu!

Eu simplesmente cansei...
Cansei de tentar falar que minhas costas doem, que meu ombro não mexe direito, que meu pé dói ao pisar, que meu cabelo cai sem parar.
Eu simplesmente cansei...
Cansei de lutar contra mim mesma, cansei de lutar contra as minhas dores, cansei de tentar provar para as pessoas que o que eu sinto é dor de verdade, que me impossibilita de tirar um alfinete do chão.
Eu simplesmente cansei...
Cansei de ficar enjoada com cheiro de desinfetante e ficar sem apetite, cansei também de enjoar cheiro de comida e não conseguir cozinha, cansei de ter vontade de beber água mas minha garganta travar, cansei de acordar no meu da madrugada agarrada com o peito de tanta dor no coração, cansei mais ainda de tentar achar ar para respirar.
Fui vencida. Vencida pelo cansaço, vencida pela dor e ausência de onde tirar forças. Cansei de me sentir no meu de um circulo com olhos me olhando e me julgando, gritando por vezes: Preguiçosa! Não faz nada! Bagunceira! Fraca! Desleixada! Está assim porque não se cuida! Quer se matar! Passa fome porque quer!


Eu me dou por vencida... Depois de 10 ano, 4 meses e 10 dias, eu dou a vitória à ele. Parabéns, Lúpus... VOCÊ VENCEU!


10/05/2015

Amor do tamanho do mundo

Eu poderia passar horas escrevendo, mas não seria o suficiente para que eu pudesse expressar um tipo de amor tão grande que existe em meu peito. 
Por tempo eu vivi sendo regada por um sorriso sincero, por um abraço de confiança e um olhar de cumplicidade. Eu acompanhei do primeiro ao último movimento, e isso é simplesmente estonteante para descrever. os olhos ficam banhados de lágrimas só de imaginar que de todo o amor do mundo, foi eu a escolhida para portar em mim o sentido da vida. Não há nada nesse mundo que seja comparado ao sentimento que é sentido ao olhar nos olhos daquele que é a prova viva que seu coração pode bater fora do peito e você continuar vivendo. Vivendo de amor. E morrendo só para amar mais.
É de tal perfeição esse sentimento que toma conta de mim ao escrever, que me sinto mais leve e na minha melhor escrita. E por muito tempo eu tive o coração batendo fora do meu peito e continuei vivendo. Mas há bastante tempo meu coração parou, e nem sei se existe mais vestígios que um dia bateu. Mas só de lembrar do amor, eu tenho um sopro de vida e respiro...

04/05/2015

Livro da Semana

Quando o amor e o Destino Se Encontram

Idioma Original: Português
Autora: Maria Izabel
Editora: Petit
Assunto: Romance 
Sinopse: Nesta história, Elizabete, uma jovem mãe desencarna precocemente, deixando esposo Mário e uma filhinha de sete anos, Mariana, que é paraplégica. Violeta, a mãe de Mário, tem por ele um amor possessivo, não se importando com a neta e o próprio esposo, Joaquim. Porém, a fim de ajudar o filho a cuidar de Mariana, contrata Sofia como babá, uma jovem carismática, que cursa faculdade de Enfermagem. Mas Violeta sente muito ciúmes do filho e evita que a babá se aproxime dele. Sofia tem estranhos sonhos que lhe revelam uma linda história de amor, porém com um trágico final, entre um jovem casal que viveu no século 19, em meio à impiedosa Guerra do Paraguai. A babá procura o seu tio Breno, um professor de Filosofia e profundo conhecedor sobre espiritualidade e espiritismo. Breno a esclarece sobre o cotidiano do ser humano, pela visão espírita. Do outro plano da vida, Elizabete intui a filha, Mariana, que passa a ajudar Mário e Sofia a se comunicarem por meio de cartas. Violeta, quando descobre essa situação, começa a arquitetar um plano para eliminar do caminho Sofia.



02/05/2015

Eu e as palavras

Eu precisava escrever, eu precisava por pra fora tudo que travava minha garganta de falar. Eu estava presa, amarrada em mim mesma e em meus medos. Eu não resisti as simples e grandiosas decisões que tomei em minha vida. Eu progredia ou regredia, e isso me aprisionava em mim. Meu medo de ser, de viver e refletir nos olhos quem eu era. Eu estava confusa, cansada e abalada. Agora, a vida, era eu e eu mesma. Como numa página de um livro, que a história precisa estar ali e ser verídica. Essa era eu com meus medos, escrevendo pra fugir da realidade e conseguir desabafar. Essa era eu, rodeada de palavras não ditas, de palavras escritas, de palavras estilhaçadas...

01/05/2015

 
Book e Cofee Copyright 2014 ©
Designe By
- Kris Monneska Conversas de Alcova