07/07/2015

Lugar de mulher não é na cozinha...

Há alguns dias eu andava incomodada com certos cometários e hoje eu percebi o quanto fui tola.


Eu tenho em casa um esposo, um companheiro e acima de tudo um amigo. Uma pessoa que topou a missão de encarar ser dono de uma casa na qual eu seria dona da mesma casa. Ele lava, passa, cozinha, faz faxina e nem liga de cuidar do jardim (inclusive é a parte que mais ama) agradeço isso exclusivamente aos meus sogros (Angela e Sebastião) que ensinaram o filho a ser um homem que a esposa sentisse orgulho de falar 'ELE É DONO DE CASA' e cara, eu fui muito sortuda em encontra-lo. Agradeço imensamente a minha mãe (Edith) que desde sempre foi feminista e independente. Trabalhou, estudou e nunca quis esse lance de casar e se prender a situações impostas pela sociedade, ela sempre me disse, "FILHA, SE TU UM DIA CASAR E VIRAR EMPREGADA DOMESTICA EU TE MATO. MULHER FOI FEITA PRA VOAR LONGE E NÃO SE RESUMIR A SER MÃE E DONA DE CASA. ASSUMA SEU PAPEL DE CASADA, MAS NÃO BAIXE A CABEÇA PRA QUALQUER GRITO", minha mãe é foda demais.
Ser de interior e de cidade pequena faz você dar de cara com uma sociedade de mente ainda menor que te critica por você querer ser diferente da cartilha. Ah, meu pai do céu, ninguém tem noção o quanto é difícil. 
Aqui em casa eu trabalho fora e meu esposo também, então cada coisa é dividida, cada um ajuda o outro a arrumar a cama e até tirar pó dos objetos. Cozinho, pois amo e ele lava a louça porque adora. Ele cuida das plantinhas e eu troco as lâmpadas, ele faz a feira de rua e eu limpo quintal... Pois é, cada um faz uma tarefa e ninguém TEM OBRIGAÇÃO DE NADA. E eu adoro isso, ele adora isso e isso basta. Já ouvi piadinhas, ele já ouviu asneiras, até sobre 'isso não ser obrigação de homem' mas ele ri, rir e depois me fala pra relaxar pois a casa é nossa e a vida também.
No casamento ouvimos bem quando o juiz falou, "casamento é pra sempre, vivam da melhor forma". O Padre, o Pastor e a Sacerdotisa falaram a mesma coisa, " Vocês agora são um só corpo, uma só vida". Então me pergunto, porque ele faria algo que ele não gostasse ou se sentisse bem? Pois é, só se faz as coisas em comunhão e é assim que entendo o casamento. Ele não é obrigado a sair de casa pra trabalhar e trazer dinheiro e nem eu sou obrigada a ser a Amélia que cozinha, lava e passa esperando o marido chegar em casa.



3 comentários:

  1. Concordo plenamente!! Também não sou Amélia! rs Adorei o texto! Bjs

    http://www.mayaravieira.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Que marido maravilhoso! Parabéns pela parceria de vocês! Adorei o texto, paredia que estava conversando comigo.
    Você escreve super bem! Tem futuro.
    Se precisar de ajuda com divulgaçao ou dicas, fale comigo (:

    Um beijao!

    imperfeitaselindas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Alice, adorei o texto! É isso mesmo, tem que ter uma divisão! Eu espero um dia poder contar com um companheiro e melhor amigo assim, aqui em casa eu que sempre briguei com a família toda sobre isso ser de mulher/ser de homem. Minha mãe, criou meus irmãos para serem dois folgados! Em casa, brigo o tempo todo com o que ainda mora comigo porque eu não faço sozinha a tarefa de casa não, só porque "sou mulher e tenho que ajudar minha mãe" - ouço isso demais, principalmente, das minhas tias! Eu já falo, que faço tudo com o maior gosto, desde que meu irmão faça exatamente igual! Ainda temos muitoooooo o que lutar para ter nosso lugarzinho ao sol e eles não serem condenados por nos ajudarem, posso imaginar as porcarias que seu marido ouve!

    ResponderExcluir

 
Book e Cofee Copyright 2014 ©
Designe By
- Kris Monneska Conversas de Alcova