10/08/2015

Desabafo De Uma Lúpica

Mais um dia teve início e com ele as dores, os vestígios de uma madrugada mal dormida e um peso na cabeça que parece que vai despencar.
A boca amarga o gosto desgostoso de tanta medicação, os olhos despejam lágrimas silenciosas que só eu sei o motivo de cada uma cair, as mãos não fecham e as pernas não suportam o peso do corpo.
Ar pra respirar? Cadê? Parece que a manhã levou cada vestígiozinho de sopro que a natureza pudesse me dar.
Banho, café da manhã, cabelo para pentear e rosto para arrumar... Mas não, nada disso o corpo ajuda. Sai de qualquer jeito mesmo, só um banho tá bom. Dizem que é moda sair com cabelo desgrenhado, ninguém vai reparar nas olheiras se um óculos de sol tapar metade do rosto. E assim o dia vai se findar. Um dia com comida péssima descendo na garganta e o gosto do remédio tomando toda a boca. A cama é o local mais solicitado pela mente, mas do que adianta? se não posso deitar, não posso repousar e não posso respirar.
E assim finda-se um dia para amanhã começar outro, pedindo a Deus que amanhã seja menos doloroso que hoje.

1 comentários:

 
Book e Cofee Copyright 2014 ©
Designe By
- Kris Monneska Conversas de Alcova