31/12/2015

Ao sonho... Que nunca realizarei.

Oi, filho... 
Meu coração anda meio machucadinho, não é mesmo? Eu nem sei o que falar sobre isso. Mas vamos esquecer.
Você estaria grandinho se tivesse permanecido comigo, mas não era pra ser. Todos os dias me martirizo e brinco de sonhar como seria ter alguém pra amar mais que a mim mesma, alguém que eu tivesse a convicção que me amaria sem reservas. Você meu foi maior sonho desde sempre, você foi minha luz, meu guia e minha vontade e só de imaginar que perdi a oportunidade de ter meu grande sonho eu fico sem cor, sem graça e sem chão. 
Eu deveria estar montando seu cantinho, deveria estar fazendo aquelas contas loucas, deveria estar reclamando dos chutinhos e enlouquecida com o tamanhinho da barriga... Mas não, não fui merecedora disso e nem serei, e eu jamais me perdoarei, tampouco me conformarei com isso. Mas quando eu chorar, chorarei sozinha pois só você e papai do céu sabem o tamanho do meu sentimento. Não será nessa vida ainda, quem sabe na próxima vem você completar esse vazio que existe em mim. Eu te esperarei sempre e sempre. Mas tenho hoje a convicção que passaram mais tempo que eu possa calcular sem te ver. Mas ainda te verei e te amarei e me doarei a você, meu bebê.

0 comentários:

Postar um comentário

 
Book e Cofee Copyright 2014 ©
Designe By
- Kris Monneska Conversas de Alcova