14/01/2016

Morte de Alan Rickman, nosso eterno professor Severo Snape


Morte de querido ator, que deu vida ao amado professor Severo Snape, da saga Harry Potter, pega inúmeros fãs de surpresa na manhã dessa quinta-feira (14).
Uma grande perca para o cinema e para nós, fãs.


Alan Rickman era de Hammersmith,  distrito de Londres na Inglaterra, nasceu no dia 21 de fevereiro de 1946. Seu primeiro filme foi Duro de Matar em 1988, e trabalhou em vários programas de tv e teatro.

Vai deixar saudades... ALWAYS!












11/01/2016

Dia de mar

O dia que segue me molda e  me faz rir, as conchas na areia me fazem sorrir. Eu olho o movimento da água e me lembro do riso infantil, eu me sinto bem, eu me sinto plena, eu me sinto a eu que há muito não existia, que há muito eu nem lembrava. Me sinto forte e me sinto viva.

06/01/2016

Não sou importante pra você

Me culpei demais por abandonos que um dia fizestes por mim, que na verdade, nem foram por mim, foram por ti mesmo. Um jeito novo pra ti de conhecer lugares novos, pessoas novas. Quantas vezes me martirizei tentando acalmar meu próprio coração falando que aquilo um dia teria um retorno bom... E hoje me pergunto o qual. Traições, mentiras, segredos escondidos a sete chaves, julgamentos, falta de amparo.
A noite olho minhas lágrimas que cai e me pergunto quantas delas tu secou, quantas verdades me contasse, quantos 'eu esqueci, deixa pra lá' eu tive que engolir seco. Eu igual boba encho o peito pra falar da tua pessoa, de quão batalhador és para nós etc e quantas vezes ouvi 'ele fala tão bem de você'. Você nunca me defendeu, você nunca me amparou de fato, você nunca me elogiou cem por cento, você nunca parou pra ver o quanto, talvez, eu seja importante. Tive de ouvir que sou louca, psicopata, tive que inúmeras vezes calar meu choro porque não adiantava de nada te pedir um colo...
Eu sempre imaginei uma parceria, um cogumelo cheio de amor que cura dor, e tudo que eu achei foi um cacto com segredos, mentiras, verdades escondidas e eu desamparada. Olho pras minhas mãos que não se abrem desde o natal, mas você nem reparou, deve ter coisas mais importantes. Eu ando cansada de esperar uma adaptação que nunca vai chegar, eu nunca estiver ao seu lado nos anos anteriores e nunca terei a mesma importância que aqueles amigos que você permite me humilhar, me xingar, me fazer de lixo e você nem cogita me defender. Eu também nunca fui e nem serei aquela que merece seu colo numa viajem quando eu estiver passando mal.
Eu nunca serei nada para você além de alguém que divide as contas, a casa e despeja em você minhas frustrações... Não sou ninguém.
E mais uma noite fico desesperada querendo sumir do mundo pois mais uma vez estou sozinha, sem ninguém comigo.

Desabafo da madrugada

A cada dia a ideia de príncipe encantado, de castelo, de anjos e sonhos são destruídas passo a passo. Cada dia meu coração se amargura mais e mais e nele se abre a cada segundo uma cratera que não tem prazo de se findar.
Quando criança eu tinha uma ideia, que hoje vejo como tola, de família, idealizava pessoas que se amavam e confiam segredos e sonhos, mas hoje olhando a realidade vejo que sempre é cada um por si. A cada instante me decepciono mais com as pessoas, com aquelas que julgava serem amigos, parceiros e confidentes. A realidade não tem nada disso, é cada um por si e mais nada. E as decepções vão sempre se acumulando como terreno baldio que vai acumulando lixo.
Sinto que meu peito hoje só carrega dor, dor essa por confiar, por acreditar, por me achar importante pra alguém. É como numa rua estreita que só cabe eu e mais ninguém, então percebo o quanto estou só!

05/01/2016

Não há pra que escrever




Eu queria escrever para falar de amor e alegria, mas sobre dor eu prefiro chorar baixinho no silêncio do meu quarto. 



 
Book e Cofee Copyright 2014 ©
Designe By
- Kris Monneska Conversas de Alcova