20/05/2017

Os bilhetes que deixo no trem 3

Sinceramente, meu caro. Hoje não me encontro num dia nada bom. Deixei seu bilhete no banco e sai tão atordoada que acabei esbarrando em você, mas nem tente lembrar-se de meu rosto, você nem olhou pra traz. Foram aquelas esbarradas normais.

Fui dormir tarde essa noite e estou bem acabada, acredita que a máquina de café quebrou logo hoje? Próxima semana tem feriado e nossa mal posso esperar para pegar minha mochila e correr pro meio do mato, acampar e esquecer até qual meu nome. Lá encontro paz, encontro meu eu, encontro o que procuro ar e paz. Já reservei alguns livros pra ler até chegar o dia, sim, consigo ler dois livros em menos de uma semana. E os escolhidos foram de Paulo Coelho. Acho que deixarei um deles pra você depois chegar da viagem. Você estava lindo ontem, preciso dizer que tenho uma leve queda por sua mochila marrom, minha favorita. Espero que amanhã após deixar seu bilhete meu dia seja melhor.




13/05/2017

Os bilhetes que deixo no trem 2

Eu sabia, sabia que não seria fácil me despistar de você depois que te disse os detalhes do bilhete. E não adianta chegar mais cedo e ficar escondido esperando que eu coloque o bilhete, eu sou esperta, bem esperta. Perdeu de ganhar bilhete por dois dias seguidos por tentar ser mais esperto que eu, meu caro, não faça isso. Eu te darei muitos bilhetes. Mas não tenta me encontrar, não sou o tipo certo de garota que você teria o prazer de conhecer, eu trago comigo tantas cicatrizes e uma delas é entre o olho e a orelha que ganhei através de um acidente de bicicleta, que acho linda, mas sempre tem um chato que pergunta e eu falo que foi numa briga de bar. Mas você agora sabe o que de fato foi. E respondendo, eu saberia que seria muito óbvio vir de cardigan logo após falar que comprei um pra usar, eu vim sem e vi que também procurou. Para de tentar adivinhar, lá se vão longos dois meses tentando saber quem deixa aqueles bilhetes, que foi por acaso que você achou e decidiu acompanha-los. Fica calmo, quem sabe eu um dia te paro e te falo quem eu sou.


06/05/2017

Os bilhetes que deixo no trem

Caro fiel leitor de meus bilhetes deixados nesse banco, nesta estação de trem... Eu sei que você me ler todos os dias. E quero dizer que te conheço. O meu trem sai segundos após você chegar, sim, meu caminho é o oposto do seu e eu sempre te vejo correr pra o local onde eu deixo meus bilhetes, e queria te agradecer por ler, e não vai dar certo você tentar deixar algum bilhete pra mim, eu só retorno a estação no outro dia e a limpeza já tem sido feita e nada que me deixe eu poderei encontrar na manhã seguinte.
Bom, como te disse no meu bilhete anterior, está tudo tão confuso, tão complicado. Eu ainda vou todos os dias fazer aquele trabalho tosco e que não me causa prazer algum, mas é o que eu tenho. E olha, sabe as moças do café? Elas continuam a me olhar torto, e eu continua a ignorar. Virou automático já, meu caro. Chegar, ligar meu computador, pegar o café e voltar a rotina, a rotina de olhar fixamente cada letra, cada detalhe até o horário de ir pra casa. E então chego depois de uma carona, tomo banho, como e desabo na cama em meio as séries ou aos livros, mas eu ando achando meus livros mais solitários que nunca. Sai há duas semanas, comprei um cardigan preto, achei que ele combinaria com meu coque alto já que só posso usar assim desde que ferrei meus cabelos jogando tinta azul sereia, não é que não é legal, é que eu não soube fazer mesmo. 
Estou te escrevendo aqui e por hoje chega, amanhã, se der, te deixo mais um bilhete. As vezes você chega antes de meu trem chegar e sei que você me procuraria, e me convenço que é melhor só ver seu sorriso ao achar meu bilhete... Até amanhã ou até o dia que você chegue só depois que meu trem tenha saído.






05/05/2017

Livros que combinam com inverno

Olá pessoal.

Resultado de imagem para tomando cha tumblr

Hoje arrumando a estante com barulhinho de chuva estava pensando em livros que se passam no inverno, e resolvi compartilhar com vocês alguns deles. E vamos combinar, o inverno está chegando, aquela época que pra mim é a mais linda e mais perfeita, e não existe coisa mais gostosa que começar uma leitura que combine, não é mesmo? Eu mesma tenho essa mania de combinar livro com música e estação do ano haha

Então pega a caneca de café ou de chocolate quente e vem comigo.

Espero que gostem, um beijo e até...





- x -


A MENINA QUE ROUBAVA LIVROS tem como narradora Morte, cuja função é recolher a alma de todos aqueles que morrem. Durante a sua passagem pela Alemanha, na Segunda Guerra Mundial, ela encontra a protagonista, Liesel Meminger, numa estação de comboio enquanto o seu irmão maisnovo é enterrado próximo ao local. A menina, ao perceber que o coveiro deixou um livro, O manual do coveiro, cair na neve, rouba-o e é levada, então, até a cidade fictícia de Molching, onde a sua mãe pretende entregá-la a uma família para que a adotem. Na Rua Himmel, reside o casal de classe trabalhadora formado por Hans e Rosa Hubermann.


Alasca, 1920: Um lugar especialmente difícil para os recém-chegados Jack e Mabel. Sem filhos, eles estão se afastando um do outro cada vez mais ele, no duro trabalho da fazenda, ela, se perdendo na solidão e no desespero. Em um dos raros momentos juntos durante a primeira nevasca da temporada, eles fazem uma criança de neve. Na manhã seguinte, ela simplesmente desaparece.
Jack e Mabel avistam uma menina loira correndo por entre as árvores, mas a criança não é comum. Ela caça com uma raposa-vermelha ao lado e, de alguma forma, consegue sobreviver sozinha no rigoroso inverno do Alasca.
Enquanto o casal se esforça para entendê-la uma criança que poderia ter saído das páginas de um conto de fadas, eles começam a amá-la como se ela fosse filha deles. No entanto, nesse lugar bonito e sombrio, as coisas raramente são como aparentam ser, e o que aprendem sobre essa misteriosa menina vai transformar a vida de todos eles.


Uma comovente história de amor que se estende por mais de 65 anos entre a gelada Leningrado da Segunda Guerra e o não menos frio Alasca. Para cumprir uma promessa ao pai em seu leito de morte, as irmãs Whiston deverão se esforçar e fazer com que a mãe lhes conte uma extraordinária história. 
Meredith e Nina vão, finalmente, conhecer o passado secreto de sua mãe e descobrir uma verdade tão terrível que abalará o alicerce de sua família... E mudará tudo o que elas pensam que são.


 
Tessa Russo está comemorando seu aniversário de casamento, com seu belo marido, Nick, um cirurgião plástico pediátrico, quando seu pager toca. No hospital, ele conhece seu novo paciente, Charlie de 6 anos, que foi gravemente queimado enquanto brincava na casa do amigo. A mãe de Charlie, Valerie, uma advogada bem-sucedida, que criou Charlie sozinha, se sente culpada. Como Charlie passa por diversos enxertos e cirurgias para reparar os danos causados em seu rosto e mãos, Nick se aproxima de Valerie. Tessa, uma dona de casa que tem dúvidas sobre deixar sua profissão, reconhece o crescente distanciamento entre ela e Nick, mas não está certo sobre a quem atribuí-lo ou o que fazer sobre isso.



Na noite de Natal, uma tempestade de neve transforma uma pequena cidade num inusitado refúgio para encontros românticos. Em “Deixe a Neve Cair”, bem sucedida parceria entre três autores de grande sucesso entre os jovens, John Green, Lauren Myracle e Maureen Johnson escrevem três hilários e encantadores contos de amor, com direito a surpreendentes armadilhas do destino e beijos de tirar o fôlego. E provam que o amor verdadeiro pode acontecer quando e onde menos se espera.




26/04/2017

O dia que esqueci quem era

Eu acordei como sempre, com o despertador tocando. Ele tá marcado pra tocar as seis e cinquenta há pelo menos cinco meses, e há mais de cinco meses que eu não tenho necessidade de acordar esse horário.  Levantei, me olhei no espelho e me vi estranha, com cabelo desgrenhado, a tinta que deveria ser azul estava verde, meu rosto tinha sumido mais da metade das manchinhas do melasmo, o rosto estava magro, quando terminei o banho que me sequei assustei ao ver os ossos do quadril, eu não via tinha muito tempo.
Foi então que notei que o ácido do rosto está fazendo efeito, notei que a tinta do cabelo desbotou, notei que perdi mais de quatro quilos e que nenhuma roupa mais servia direito. Notei que não me cuidava há dias, só estava no automático, e isso me assustou.
Desde o natal que eu não me arrumava, que eu não tinha mais vontade de nada. E cá pra nós, não era isso e nem é, o que eu quero. Estou tentando me achar, tentando saber se ainda sou quem eu sempre achei que era, mas bola pra frente e ver onde a vida vai me levar.

Resultado de imagem para girl triste tumblr

25/04/2017

Perda Gestacional - É real, é sentida.

Quem acompanha o blog há um tempo lembra que uma vez perdida eu fazia uma postagem intitulada de 'ForaDoComum' e nela eu falava coisas que aconteciam fora do meus textos e dos livros. Já falei do meu casamento, do aniversário do meu melhor amigo, da minha visita ao ICIA... enfim, já falei de algumas coisas bem bacana. Mas o que eu trago hoje é um fora do comum bem incomum. Em vários posts do blog eu escrevo para o meus filhos, um em especial. Mas eu nunca contei o que realmente aconteceu em nenhuma das gestações, e muitas pessoas só souberam da minha gravidez através do blog, inclusive pessoas próximas. Vou tentar resumir pois se começar escrever eu surto e desisto. Minha primeira gestação foi em agosto de 2015 e durou até outubro. Eu estava tratando um derrame que tive por causa do lúpus, o qual sou portadora há 12 anos, e com o excesso de remédios o feto não resistiu e acabei perdendo meu primeiro anjinho dia 15 de outubro de 2015. Minha segunda gestação foi interrompida no dia que eu descobri, em março de 2016. Estava suspeitando, os sintomas e os etc eram todos iguais a primeira. Descobri pela manhã mas perante tudo que tinha passado sabia que ela não ia pra frente, e na noite daquele dia aconteceu. Como desde que descobri o lúpus sabia que seria difícil uma gestação, achava que seria forte caso um dia acontecesse algo grave, mas não, nunca estive.

Mas como a segunda não teve um peso tão gritante por eu já está ciente do que ocorreria, eu não surto tanto como surto quando lembro da primeira, e é justamente dela que eu quero falar. Bom, quando perdi meu filho eu fui vítima das piores palavras, conselhos e insensibilidade que uma mãe pode ser. Ouvi pessoas falarem coisas do tipo 'ele não tinha que ser seu' 'Seja forte, logo logo terá outro' 'Foi melhor agora do que mais pra frente' - como coisa que tem hora pra se perder um filho. 'Não deu nem pra se apegar' 'Ah, mas nem o amava' 'Isso já tá virando frescura, logo engravidará de novo'
Meu filho já era amado mesmo antes de eu e meu marido pensarmos em engravidar. E acredito que seja assim com  milhares de outras mulheres que passam pela dor da perda gestacional ou neonatal. E engana-se quem pensa que a dor pior é a dor da mãe que perdeu um RN pois não é, filho é filho e o luto é real e sentido. Não subestime nenhuma mãe no seu período de luto, de dor. Se realmente quer ajudar, consolar, evite falar coisas como as que eu falei entre aspas ali em cima. Isso machuca muito, isso dói bastante.

Nesses meus momentos, um grupo chamado 'DO LUTO A LUTA' me ajudou de uma forma que eu nem sei falar, e sei que ajuda muitas outras mães. Apoio, carinho, conversa, é uma forma de mostrar que se importa e que quer ver bem aquela mãe que está de braços e ventre vazio.
Eu sempre procuro, hoje, mandar uma mensagem positiva, oferecer uma conversa, fazer qualquer coisa para uma mulher que esteja passando pelo que eu passei, pois na minha época eu não tive NINGUÉM, isso mesmo, ninguém meeeeeeeeeeeeesmo que se importasse tanto com aquele momento, não teve uma pessoinha se quer que se ofereceu pra ir ao médico comigo, que perguntou se eu tava bem, se eu queria falar sobre meu filho, e isso é uma magoazinha que me corrói até hoje, mas não devemos guardar esse sentimento, não é mesmo?


Imagem relacionada

Vou deixar uma listinha de coisas que mais me doeram ouvir. E se você é uma mãe que passou por isso, sinta-se abraçada, sinta-se confortada e saiba que lá do céu nossos anjinhos estão olhando por nós, e um dia iremos nos encontrar. Seja forte, voce é guerreira, é linda, é especial, foi escolhida pra ser mãe de um anjo. Suas lágrimas um dia vão diminuir, talvez acabar, a lembrança vai continuar e seu amor, ah eu amor, esse nunca vai morrer. 

- Ele não era pra ser seu
- Você é jovem, logo vai ter outro
- E ai, já começou a praticar outro?
- Nem deu tempo você amar
- VOCÊ TÁ SOFRENDO POR UMA COISA QUE MAL EXISTIU (esse foi o que mal doeu principalmente pela pessoa que falou)









23/04/2017

Uma carta na madrugada

E hoje me bateu uma saudade de escrever pra você, afinal, existem meses que não paro pra pensar em você. Chega a ser bem engraçado, mas antes era tão frequente e doloroso. Hoje não falo de você com a frequência que falava, não consigo nem falar direito, acho que sua lembrança caiu no esquecimento diário mas vive nas lembranças do coração.
Esses dias lembrei que em 2012 você falou sobre fazer cinco anos de nossa 'amizade' e então lembrei que esse ano faria dez anos.
E o que rolou nesses dez anos, não é mesmo? Não, eu ainda não parei de comer carne, ainda não me formei na faculdade, ainda não tenho filho, ainda não mudei pra Gramado, ainda não publiquei um livro, ainda não visitei o museu, ainda não fiz tantas coisas que eu sonhava.
Mas eu andei de avião, eu casei, eu bebi pitu, eu me arrisquei num relacionamento sem futuro, eu aprendi uma nova paixão que é criar coisas e desenhos, eu adotei vários gatos, eu me tornei professora de crianças, eu não reclamo mais de ter que ir ao médico.
Mas eu ainda não conclui o tratamento da depressão, também não me arrisquei em pensar em uma outra faculdade sem ser jornalismo.
Essa madrugada lembrei de quando você conseguia código dá Tim pra mandar SMS sem gastar os poucos créditos que tínhamos na época de adolescente, só pra saber se às 3h eu já estava dormindo ou ainda estava mexendo no meu casaco azul e chorando sem saber o que seria de mim.
Olha, eu ainda mexo no casaco e ainda choro, mas não tem mais nenhum SMS, ou como é comum hoje, uma msg via whatsapp (que você nem chegou a conhecer) pra saber se dormi, se tô com medo, se preciso falar de bolsas ou de personagens fictícios.
Quem me ver falando assim nem imagina o quanto eu odiava suas falhas, suas manias absurdas e sua constante mudança, mas nós sabíamos como minha depressão e sua bipolaridade nos afetava e nos protegia.
Um dia, meu bem, quando eu tiver uns filhinhos bochechudos, eu vou falar pra eles de você, de quanto você era insuportável e mesmo assim amável. Nunca vou te esquecer completamente e esteja você, hoje, num bom lugar e que, se possível, olhe por mim aqui em baixo.

Eu te dedico, seu intruso!



15/04/2017

Um remédio leve

Esquecer do sol que combina com o céu azul é impossível, pois nesses dias a alegria se faz presente em cada centímetro.
Não existe formula secreta que faça as coisas certas se tornarem obrigatórias em nosso mundo, mas existe a forma certa de nos obrigar a olhar no mundo o verdadeiro sentido de viver. Existem milhares de pessoas responsáveis por sorrisos, bem mais na soma total que as pessoas que provocam as lágrimas.

Perder o folego de tanto rir, esquecer que os ponteiros do relógio nos movem, riscar da agenda o nome daquela amiga que só te coloca pra baixo, desligar a tv enquanto passa um programa lixo, desligar o telefone quando estiver do lado de pessoas importantes... coisas pequenas que movem o mundo, que nos tornam melhores e mais fortes. Isso não é formula pra felicidade, mas sim um meio de tornarmos nosso coração e nossa mente mais sadios. E quanto mais seguirmos os passos para uma áurea limpa, mais leve ficamos.



13/04/2017

Seus passos

Todos os dias é sempre a mesmas palavras quando nos despedimos logo cedo, e sei que vem do fundo dos nossos corações.
Nós podemos brigar, gritar e querer atear fogo um no outro, mas um riso de canto de boca quebra o outro.
Todos os dias eu te amo um pouquinho mais, e se as vezes te jogo na cara o que você fez é pra tentar te magoar, embora saiba que é errado. Mas te forçar a sentir minha dor é um jeito de querer dividir com você não só as alegrias.
Eu amo tanto você que dói no meu peito e quando eu não mais estiver aqui quero que sorria lembrando dos meus olhos quando como cachorro quente, que lembre de como só minha unha te arranha e como eu seguro nossos gatos chamando de bebê.
Eu amo você e quero ver todos os seus passos, e mesmo que a presença física não seja mais o que você tenha de mim, saiba que você foi meu grande amor.


11/04/2017

Nunca fui boa

Nunca fui boa em esconder meus sentimentos, fosse ele de amor até a raiva. Nunca consegui disfarçar minha cara de tédio perante tantas situações e tantos assuntos.
Não consigo me calar mesmo diante das mais assustadoras situações da vida. Eu reaprendi a superar meus medo através das minhas verdades e isso sempre me gerou mal estar entre eu e qualquer pessoa que tivesse que ouvir minhas verdades. Mas afinal de contas, será que eu tinha mesmo o direito de falar o que eu achava diante de uma sociedade tomada por falsos olhares e falsas verdades?
Não sei se um dia conseguirei 'segurar a língua' mas a cara, essa não conseguirei disfarçar nunca.
E assim sigo minha rota, com algumas pausas e alguns gritos. Mas essa sou eu, a pessoa que nunca foi boa em esconder o que sente.


08/02/2017

Instagram Literário

Olá, pessoal...
Estava eu de boa, quando de repente me bate uma vontade de falar sobre alguns ig's que sigo com o tema de livros. Existem váááááários e cada um mais bem cuidado que outro. Eu, por vezes, fico lá babando os conteúdos de cada um. Então, por que não dividir com vocês?


O primeiro é o Livros em Flores da Karoline Kaufmann e eu simplesmente sou apaixonada.


Já esse aqui conheci recentemente e é o ig do blog de mesmo nome da Narah Lorrana, o Ler Antes de Dormir.



Esse aqui já vou falar com bastante carinho, pois é o ig da Kézia Martins, ela é escritora e um doce de menina, acompanho a Kézia desde um grupo de leitura no Facebook. O blog dela é muito amor.



Puro amor, assim classifico o ig da Amanda Ferreira e vocês vão concorda comigo.



E por último, e não menos especial, o da Alyssa o qual simplesmente fico namorando e namorando rs.


Bom, pessoal, espero que vocês gostem das indicações e sigam todos os ig's, pois assim como eu vocês vão amar cada um deles.
bjs...







07/02/2017

Novos Ciclos

A caneca de café caiu da minha mão, se espatifou no chão como se fosse numa cena de filme, exatamente naquela hora que se recebe uma notícia ruim do outro lado da linha no telefone.
Embora os dias passem, os novos comecem e os velhos se findem, eu não sei lidar muito bem com recomeços. Sou tão nostálgica, e isso é péssimo, as vezes.
Eu, recentemente, ando querendo acreditar que fui uma pessoa ruim, prefiro acreditar nisso do que acreditar que as pessoas que tanto amei foram milimetricamente calculistas na hora de me descartar, de mudar suas páginas e me deixar no capítulo anterior. Eu ando indo dormir com a concepção de que novos horizontes são minha única escolha, porém, ainda não sei como.
Eu prefiro acreditar que preciso comprar canecas novas, reaquecer meu coração e escrever sobre amor, paz e luz. E deixar que o que tiver de acontecer venha até mim na hora exata. E se realmente fui uma péssima pessoa, que eu possa me redimir.


06/02/2017

Todas as Vezes

É tão incomum, não é mesmo, baby? Essa mania chata de mexer nos cabelos sempre que o nervosismo toma conta, todas as vezes que sente-se inquieta e insegura. Eu conheço esse teu coração tolo tão bem, essa mania desmedida de se culpar e inclusive de se vitimar. De por vezes se colocar no lugar de Jesus e sentir-se crucificada. E se eu pausar minha música e te falar que isso é normal, que o mundo anda essa bagunça de pessoas maltratando pessoas, de mulheres acusando mulheres, de homens falando asneiras e crianças egoístas e egocêntricas?
Baby, abre a janela quando o sol estiver nascendo e absorve aquela paz que só os primeiros raios da manhã trazem, ouve também o som os pássaros e sente a maciez de seus gatos nos carinhos em suas pernas.
Baby, não se culpe ou nos culpe. Você é humana e tem todo direito de errar, mas saiba que nem todas as vezes que você maltrata-se a culpa é sua


03/02/2017

Eu Acredito Nos Sonhos

Há tanto tempo que eu não tomo sorvete durante a noite, também tem muito tempo que eu não escrevo sobre pessoas que não existem vivendo coisas que não aconteceram em lugares que eu nem conheço. E faz tanto tempo que também não fumo e nem como comida mexicana. O tempo passa e eu não faço coisas que eu costumava fazer, como por exemplo, ir naquele restaurante chines que a atendente já era minha amiga, na última vez que fui por ali o restaurante estava até fechado... Será que aquela moça já realizou todos os seus sonhos? Queria falar pra ela que eu não. Que o Dave não teve um final feliz com a Sava, que o Rafael não soube mais nada do filho, Que a Alice ainda não perdoou sua mãe... Onde estão minhas ideias? Por qual motivo eu ainda não finalizei as minhas estórias de pessoas que não existem, além de na minha cabeça. Porque pouquíssimas pessoas tem a sorte de sentir raiva e amor pelo Dave? Eu deveria sorrir mais, escrever mais e pelo menos sujar minha boca com pimenta só pra lembrar da maravilha que é a culinária mexicana. Eu deveria fazer tanta coisa e ando devendo pra mim mesma, ando devendo me dar mais oportunidades. Olho no espelho e me procuro com 20 anos, cheia de sonhos e de histórias para escrever, onde estou ou com quem estou? Vou me libertar, me amar mais. E principalmente, dar um rumo nas minhas três estórias, para ao menos meus amados personagens, serem felizes.



02/02/2017

Preciso falar sobre Paulo Coelho

Bom, do nada me veio as lembranças das melhores horas da minha adolescência. Horas e horas foram dedicas a leitura, coisa que sempre amei. Fosse pegando livros da biblioteca da escola, compra de sebo virtual, pegando emprestado... Mas um belo dia me falaram sobre VERONIKA DECIDE MORRER, e minha Deusa, como eu quis aquele livro, eis que também do nada me aparece uma colega de turma lendo, e claro que pedi emprestado. Foi ai que tudo começou. Eu amei aquela história, eu amei cada palavra e eu decididamente precisava ler mais do que ele escrevia.
Na mesma época vários livros dele vieram no catálogo da avon (qual leitor não tem seus livrinhos da avon?) meu primo comprou alguns e mais uma vez fui no 'meemprestaporfavoreuprecisomuito' e assim li mais alguns dos meus grandes amores.
Foi engraçado que fui forçada a adquirir um novo habito, que vive até hoje, de ler ouvindo música, pois minha casa estava passando por reforma. Mas não poderia ser qualquer música, teriam que ser especiais, e assim, não me lembro como, mas consegui CDs de músicas celtas (ou algo assim) e dediquei bastante tempo a Brida, A Bruxa de Portobelo, O Demônio e a Srta Prym, Na Margem do Rio Piedra Eu Sentei e Chorei e Onze Minutos. Esses foram os que me embalaram naquele ano, ou um ano e meio mais ou menos até conseguir todos. E nada poderia existir dentro de mim, além das lembranças, ao não ser gratidão, por esse homem ter me permitido mergulhar em outro mundo e me sentir tão única. Por sofrer, amar, sorrir, chorar, viver com todas aquelas pessoas que conheci nos livros.
Ao longo do tempo escutei tantas críticas à esse homem que jamais poderia concordar, apenas defender em algumas vezes e noutra fingir de boba e surda, pois não posso bater de frente com opiniões ou conceitos formado por quem não tem conhecimento por determinado assunto, e cá pra nós, Paulo Coelho é assunto de todos, mas pra poucos entenderem. E os que entendem, ah que maravilha é caminhar nesse mundo.
Por um tempo dei uma pausa na leitura, só alguns por ano. Permiti-me conhecer outras coisas e outras leituras, mas não se passa um ano se quer que eu não leia Brida, e eu morro de orgulho dos livros dele que carrego comigo e de cada história que aprendi, e se eu pudesse, sinceramente, um dia encontra-lo, eu simplesmente o abraçaria e sentiria bater o coração de cada personagem criado ou relatado.


Vou deixar o link de um vídeo com o estilo de música que ouvia ao ler os livros, da pra ter noção de como era maravilhoso ler ouvindo isso.






01/02/2017

Essa é (talvez) pra você

Vocês já ouviram falar em pessoas que não tem ponto fixo? E não, não estou falando dos andarilhos ou hippies. Eu estou falando de pessoas que abandonam seus sonhos, que começam projetos e os deixam pelo caminho, pessoas que estão conversando empolgadas no whatsapp e simplesmente bloqueiam o telefone e deixam o outro falando sozinho, também me refiro aquelas pessoas que marcam de sair e no dia conseguem inventar desculpas melhores que personagens de desenhos animados.
Bom, vim falar, talvez xingar, essas pessoas... Quer dizer, eu não sei bem fazer isso, vai contra meus votos. Mas cá entre nós dois, você que ler isso e se identificou com uma pessoa sem ponto fixo, sinta-se tomando um tapa bem no meio do braço, daqueles que a marca do dedo fica na pele e além da marca a ardência.
Não faça mais isso, tente concluir seus planos e sonhos, suas rotas e trilhas, e principalmente sua palavra. Considere o sorriso do outro, a alegria do outro, a espera do outro e em primeiro lugar, a sua satisfação pessoal. Se isso, de algum modo, fez você repensar, sinta-se muito bem abraçado e saia já de sua zona de conforto e vá por em prática suas metas, as de ontem ou as de 2013.


31/01/2017

Leituras de janeiro

Olá, pessoal...
Vim trazer pra vocês minhas leituras de janeiro, eram pra ser ao menos três livros, mas foram tão corridos alguns dias pra mim que não tive tempo de ler, o que pra  mim já não é um bom sinal. Mas bem, tive a oportunidade de ler duas maravilhas. De estilos diferentes e realidades também diferentes.
Ambos eu recomendo, são abordagens gostosas de ler. O segundo me quebrou de jeito e li de uma forma muito minha, e tirei muitos ensinamentos. 
Espero que gostem das dicas. Um super beijo.

 O primeiro foi o Deixe a Neve Cair. maravilhoso e uma graça de ler. 


''Na noite de Natal, uma tempestade de neve transforma uma pequena cidade num inusitado refúgio para encontros românticos. Em “Deixe a Neve Cair”, bem sucedida parceria entre três autores de grande sucesso entre os jovens, John Green, Lauren Myracle e Maureen Johnson escrevem três hilários e encantadores contos de amor, com direito a surpreendentes armadilhas do destino e beijos de tirar o fôlego. E provam que o amor verdadeiro pode acontecer quando e onde menos se espera.''




O segundo foi um nacional, que recomendaria mil vezes caso fosse possível. Foi O Vendedor de Sonhos, do Augusto Cury. Incrível e maravilhoso.

''Um homem maltrapilho e desconhecido tenta impedir que um intelectual se suicide. Um desafio que nem a polícia nem um famoso psiquiatra tinham sido capazes de resolver. Depois de abalá-lo e resgatá-lo, esse homem, de quem ninguém sabe a origem, o nome ou a história, sai proclamando aos quatro ventos que as sociedades modernas se converteram em um hospício global. Com uma eloquência cativante, começa a chamar seguidores para vender sonhos em uma sociedade que deixou de sonhar. Nada tão belo e tão estranho.''

30/01/2017

Sobre ficar sozinha

Hoje eu estava amargando mais uma vez a dolorosa missão de ter que comer sozinha. É algo que há anos não me traz paz e está longe de trazer sossego.
Eu até sou uma apreciadora de ficar quieta, reorganizar minhas ideias e examinar os próximos passos, mas vamos combinar, que comer só é horrível.
As vezes tento me enganar com o 'pare de reclamar, ao menos tem o que comer' isso é bom, mas não é exatamente esse o problema.
Quando eu comia num bistrô, até ano passado, isso meio que me acalentava. Tinham pessoas todo momento falando comigo, até um simples cumprimento pra mim já era satisfatório.
Mas o ato de esquentar a comida, arrumar a mesa e comer é triste e solitário, parece que as paredes vão fechar a qualquer instante, e cá pra nós, isso não é nem de longe o que um almoço requer.
Mas sigo nessa rotina de almoços solitários, que duram seis longos anos desde que eles começaram a se tornar frequente, mas vale ressaltar que os dias que tenho companhia, são os melhores do mundo.
Encerro minha encenação boba, com apenas um biscoito na mão, pois um almoço em si, não me desce sozinho.


28/01/2017

Seus olhos

Parece até feitiço cada vez que te olho... seus olhos me acalmam e me levam pra longe, é como se parte de mim dormisse quando me olha.
Eu viro criança, fico boba, e há quem diga que fico mais apaixonada com seu olhar. É que eles não sabem a sorte que tenho de você olha diretamente pra minha alma e ler cada linha que meu interior escreve sobre nós dois.
Seus olhos tem um poder diferente, eles tem o poder de demonstrar o que você sente por mim, e é exatamente disso que eu estou falando desde o início. 
Seus olhos quando me olham...



25/01/2017

Ensaio Fotográfico Com Livros

Olá, pessoal...
Que saudades que eu estava de escrever aqui sem ser os textos melosos de sempre. Hoje eu vim mostrar pra vocês umas fotos que fiz com o tema de livros. Eu queria fazer já há algum tempo mas nunca sabia como e nem com quem, mas eis que entrou um anjinho na minha vida e realizou esse sonho. Um colega de freela que caprichou.
Não foi bem um ensaio específico, mas as fotos ficaram do jeitinho que eu queria. Espero que vocês gostem, também vou deixar o ig dele pra quem quiser ver as fotos. E no meu ig tem outras fotos desse ensaio maravilhoso. Vamos as fotos.

















17/01/2017

Minha Amada

  • Perdi o sono com minhas caraminholas na cabeça e então me peguei pensando em você, quem você foi comigo no dia dessa foto e então lembrei que um momento feliz desse dia foi registrado ao seu lado. Ao ver essa foto nos vi tão felizes, tão repletas de vida que não combina com a gente em nossos últimos encontros. 
    Voltando a esse dia... parte de mim morreu ali, parte de mim perdeu a esperança mas lembra o que você me falou dias depois? que tudo se ajeita de um modo ou de outro. 
    Quantas lágrimas derramei em outubro, e quantas vezes você me animou... eu sempre achava que era fraca mas vira e mexe você me falava que eu era forte e guerreira e me fazia entender meu valor.
    Quando eu achei q iria surtar quando perdi meu bebê você foi uma das ÚNICAS q me ouviu, q esteve do meu lado e me abraçou qdo mais precisei. Você me fez enxergar mais uma vez o tanto que eu era forte.
    Sabe, comadre, você pode não ter percebido mas em muuitas vezes você foi a primeira em coisas da minha vida nos últimos dois anos.
    Sempre que penso em você eu sorrio, porque sei que se eu precisar de você vou ouvir sua voz mansinha falando que tudo acontece na hora certa, ou ainda vou escutar você colocando apelidos em alguém, e sei que logo mais vou ouvir aquela gargalhada goxxxxxxxxxxxtosa que só você é capaz de dar.
    Acho que ainda não fui capaz de te agradecer por cada coisinha que fez por mim.. confiar que eu te ajudasse com a Luna-Unhas Decoradas. Por ter avaliado meu namorado ~hoje marido~ pessoalmente. Por ler meu blog. Por curtir as bobagens da página. Por falar das fotos de Jefferson. Por me chamar de guerreira. Por compreender o que é o lúpus e não me julgar. Por ser carinhosa comigo quando o mundo desmoronou. Por me deixar segura todas as vezes que eu me sentia fraca e acima de TUDO por ter me confiado a HONRA de ser 'mãezinha' do nosso Lucaan, poq é isso que madrinha significa. 
    Paro por agora porque sabe que sou chorona demais, né? 
    Mas saiba q cada palavra veio do coração e do fundo da alma. E eu amo você muito. Você é a mulher mais guerreira, sincera, valente, corajosa, amorosa, amiga e única que eu tenho contato. E por isso eu te digo, minha Nati, sua vitória tá chegando repleta de luz!


escrevi esse texto em maio, quando nosso mundo desabou e nossas forças se uniram ainda mais. Hoje temos nosso príncipe prestes a chegar, a saudade do nosso primeiro amor nunca vai acabar, mas hoje temos o coração pleno e tranquilo. Te amo, minha amiga, minha comadre, minha pareia.

16/01/2017

Vida minha

Segura minha mão, não solta ela por nada. Eu sinto medo, durante a noite, ou no meio do dia, eu sinto tanto medo de coisas bobas e meu maior medo é não ter sua mão pra segurar.
Na maior parte do tempo eu sou forte, sou confiante e segura, mas do nada vem aqueles medos, aquela sensação que nada faz sentindo e que o mundo vai desabar. 
Não deixa meu mundo desabar, não deixa a gente tombar e muito menos sentir medo de acabar. 


15/01/2017

Seus detalhes só meus

Eu sempre amei camisas de flanelas xadrez, mas nunca imaginei que elas fariam parte da minha vida como hoje elas fazem.
Todas elas são lindas e únicas, e o melhor, são suas. Eu te acho lindo de todos os jeitos, de todos e os ângulos e eu amo cada detalhe, cada botão, cada toque, cada costura, cada sorriso... eu simplesmente amo.
Talvez esse texto seja sem nexo, sem ponto fixo, mas talvez, meu amor, você entenda do que eu estou falando. Mas resumindo, eu te amo.


10/01/2017

Deixa pra lá


Eu esqueci que água gelada na madrugada me faz mal, assim como também esqueci que pessoas do passado tem uma espécie de bactérias que tem poder de acabar com a alegria ou o resto, ou até mesmo de esperança que exite em nós.
Esperar recompensas como paz e tranquilidade quando o assunto é reencontros nos tornam um pouco fracos e esgotados de esperanças, mas eu sempre me pergunto o real motivo de deixarmos essas pessoas interferirem em nosso presente. Passado, passou, o que nós temos é a certeza e a vontade de melhorar, e é isso que queremos, não é?
Vamos sorrir, viver e comer bolo de banana com bastante caramelo e vamos deixar aquela comida que causa indigestão, mas é gostosa, pra lá. OK, produção?



08/01/2017

Do meu medo só eu entendo

                        Não, não é legal sentir medo...
Não é legal anular vários sonhos por um medo que para muitos é medo bobo, ou simples invenção da sua cabeça. Quando na verdade não é. 
Sinto uma angustia fora do normal só de cogitar essa hipótese de ter que entrar dentro dum carro, seja dia ou noite, mas a noite consegue ser pior. O pânico, as lembranças, o medo me dominam como se fosse uma camisa de força me segurando e me sufocando. A vontade de correr, de chorar, de gritar, gritar até meu medo passar é a única coisa que quero. Esqueço mesmo é de pensar ‘estou chegando em meu destino’ e só penso ‘e se eu não chegar’
Estou fadada disso durar tantos anos, disso durar tanto tempo no meu coração, não sei um dia vai acabar, se um dia eu realmente vou me libertar desse medo ou quem sabe, se um dia as pessoas vão acreditar que tenho realmente esse medo, esse pânico, ou se continuarei lutando sozinha com esse monstro invisível. Se um dia eu vou conseguir abrir a porta de um carro e falar ‘vamos, eu estou pronta’


05/01/2017

12 Anos de Convívio Com o Lúpus

E lá se vão 12 anos desde o diagnóstico.
12 anos já é uma vida, 12 anos já é muito tempo. 12 anos desde o diagnóstico do CID 10M32 ou simplesmente Lúpus Eritematoso Sistêmico.
São 12 anos entre cirurgias, hospitais (muitos hospitais), médicos (muitos médicos), emergências, ambulatórios, remédios (mais remédios que a EMS já produziu)
Eu não me sinto feliz por chegar até aqui, ou realizada, sinto apenas que venci e a cada dia ganho mais uma. Já se vão esses anos todos e sempre numa nova crise eu vejo o desespero de cada médico por eu já ter o organismo fraco demais, por eu já estar debilitada demais, ou simplesmente velha demais. Hoje em dia ignoro e tento absorver quem fala 'ah você vai viver muitos anos ainda' antes eu sentia aflição de quem falava isso sem saber a realidade e perguntava logo 'sabe a estimativa de vida pra o lúpus depois dá descoberta?'
Mas quem sou eu pra falar de estimativas? Nunca fui boa mesmo em matemática.
Eu hoje me sinto cansada, sai de uma crise tem menos de uma semana e não sei quando vem a próxima. Mas quero aproveitar cada dia, seja mandando mensagem pra quem amo, seja andando com amigos, seja vendo séries, seja corrigindo erros de português dos amigos (eles odeiam), seja brincando com meus gatos ou seja sendo feliz apenas. 
Eu quero mais dias pra ver meus afilhados crescerem, quero ver os meus gatos velhinhos, ver meu marido cuidar das plantas, quero ver minha mãe fazendo os artesanatos dela... Mas eu sei que é um dia de cada vez, uma passo a cada dia. Não quero pedir mais dias ou saúde (eu sei que não tenho e muuuuuuito menos existe cura) e eu já tô resolvida com Deus, juro que se alguém mandar eu ter mais fé eu vou dar um sermão. Enfim... Se alguém leu até aqui, coloque seu nome na lista de convidados pois daqui à três anos vou fazer uma festa de debutante pra eu e o lúpus e quero você comigo (se eu estiver viva)
Obrigada a tooooodos que se preocupam comigo, que sabem como lidar comigo e que se importam com o que sinto e o que aquilo vai me ocasionar. Enfim...
Feliz 12 anos pra gente lupinho.


04/01/2017

Paradise

De riso em riso eu chego ao paraíso. Seja o meu particular ou ao que me é reservado, mas querem mesmo saber? Eu estou mais que feliz e realizada e que os novos ventos me tragam coisas boas e novas, eu estou aqui só esperando.

03/01/2017

Meus dois amores

Se ser mãe de um é bom, imagine de dois...
Mas ser mãe de dois anjinhos no céu não é tão bom assim, eu aprendi que tenho uma dose de super heroína em meu ser, pois não é possível. Eu me supero e me amo sempre mais e sei que meus dois amores tem orgulho dessa mãe que eles tem. Eu hoje lembro deles com amor e saudades e não com aquela amargura do início, com aquela tristeza que me machucava. As vezes entro em desespero, a saudade chega me maltratando demais e eu simplesmente desmorono, eu choro, eu grito e eu meio que morro um pouquinho, pois ser mãe de anjo é bem isso, é saber que o mundo é nosso mas uma parte do nosso mundo não tem mais cor, falta tons pra ser colorida e só a espera de um arco-íris consegue suprir aquela ausência de cor.
Mas eu sei que só na hora certa meu arco-íris vai chegar, e eu estou esperando, seja a hora que for eu estarei aqui de braços abertos. Pois ele será muito amado e vai saber o quanto eu amo os irmãos dele.

02/01/2017

Palavras sobre o ser

Esqueci de fechar as portas quando sai do tempo ruim, e parece até que ele entrou porta a dentro sem ser convidado e por uns instantes eu o deixei ficar. Depois reuni minhas forças e o expulsei pois aprendi que só fica o que permito e com minha força expulso o indesejado e não programado.
Aprendi que devo resistir até chegar no meu objetivo, mas sem me machucar, mutilar ou me culpar. Devo aprender a caminhar sorrindo mas devagarinho, como música de bossa nova. E então as coisas boas se implantam e ficam, e é disso que a alma precisa pra ser feliz.

Imagem relacionada

01/01/2017

Enfim, um recomeço.

Então janeiro chegou e eu notei que não cumpri algumas metas que fiz pra 2016, mas quem se importa vendo o tanto que melhorei, que amadureci, que me tornei uma pessoa melhor. Em 2016 apanhei mais que burro de carga, cai, levantei, sorri e chorei, mas chorei muito, fui mãe mais uma vez, porém fui mãe de outro anjo. Hoje tenho dois filhos no céu ao lado de Deus, e não me sinto mais tão fraca ou culpada, sei que era pra ser como foi escrito no meu livro da vida, e se for pra eu apanhar até melhorar, pode bater mais que dessa vez vou apanhar sorrindo.
E quantos sonhos também realizei, do mais bobo ao mais delicado. Realizada profissionalmente, pois eu sei o meu valor. Nem me importo se tem gente que não valoriza, eu me amo e sei meu valor e é isso que vale, não é mesmo?
E que venha com tudo 2017 e traga o que tiver de ser meu.
Resultado de imagem para paz tumblr
 
Book e Cofee Copyright 2014 ©
Designe By
- Kris Monneska Conversas de Alcova