06/05/2017

Os bilhetes que deixo no trem

Caro fiel leitor de meus bilhetes deixados nesse banco, nesta estação de trem... Eu sei que você me ler todos os dias. E quero dizer que te conheço. O meu trem sai segundos após você chegar, sim, meu caminho é o oposto do seu e eu sempre te vejo correr pra o local onde eu deixo meus bilhetes, e queria te agradecer por ler, e não vai dar certo você tentar deixar algum bilhete pra mim, eu só retorno a estação no outro dia e a limpeza já tem sido feita e nada que me deixe eu poderei encontrar na manhã seguinte.
Bom, como te disse no meu bilhete anterior, está tudo tão confuso, tão complicado. Eu ainda vou todos os dias fazer aquele trabalho tosco e que não me causa prazer algum, mas é o que eu tenho. E olha, sabe as moças do café? Elas continuam a me olhar torto, e eu continua a ignorar. Virou automático já, meu caro. Chegar, ligar meu computador, pegar o café e voltar a rotina, a rotina de olhar fixamente cada letra, cada detalhe até o horário de ir pra casa. E então chego depois de uma carona, tomo banho, como e desabo na cama em meio as séries ou aos livros, mas eu ando achando meus livros mais solitários que nunca. Sai há duas semanas, comprei um cardigan preto, achei que ele combinaria com meu coque alto já que só posso usar assim desde que ferrei meus cabelos jogando tinta azul sereia, não é que não é legal, é que eu não soube fazer mesmo. 
Estou te escrevendo aqui e por hoje chega, amanhã, se der, te deixo mais um bilhete. As vezes você chega antes de meu trem chegar e sei que você me procuraria, e me convenço que é melhor só ver seu sorriso ao achar meu bilhete... Até amanhã ou até o dia que você chegue só depois que meu trem tenha saído.






05/05/2017

Livros que combinam com inverno

Olá pessoal.

Resultado de imagem para tomando cha tumblr

Hoje arrumando a estante com barulhinho de chuva estava pensando em livros que se passam no inverno, e resolvi compartilhar com vocês alguns deles. E vamos combinar, o inverno está chegando, aquela época que pra mim é a mais linda e mais perfeita, e não existe coisa mais gostosa que começar uma leitura que combine, não é mesmo? Eu mesma tenho essa mania de combinar livro com música e estação do ano haha

Então pega a caneca de café ou de chocolate quente e vem comigo.

Espero que gostem, um beijo e até...





- x -


A MENINA QUE ROUBAVA LIVROS tem como narradora Morte, cuja função é recolher a alma de todos aqueles que morrem. Durante a sua passagem pela Alemanha, na Segunda Guerra Mundial, ela encontra a protagonista, Liesel Meminger, numa estação de comboio enquanto o seu irmão maisnovo é enterrado próximo ao local. A menina, ao perceber que o coveiro deixou um livro, O manual do coveiro, cair na neve, rouba-o e é levada, então, até a cidade fictícia de Molching, onde a sua mãe pretende entregá-la a uma família para que a adotem. Na Rua Himmel, reside o casal de classe trabalhadora formado por Hans e Rosa Hubermann.


Alasca, 1920: Um lugar especialmente difícil para os recém-chegados Jack e Mabel. Sem filhos, eles estão se afastando um do outro cada vez mais ele, no duro trabalho da fazenda, ela, se perdendo na solidão e no desespero. Em um dos raros momentos juntos durante a primeira nevasca da temporada, eles fazem uma criança de neve. Na manhã seguinte, ela simplesmente desaparece.
Jack e Mabel avistam uma menina loira correndo por entre as árvores, mas a criança não é comum. Ela caça com uma raposa-vermelha ao lado e, de alguma forma, consegue sobreviver sozinha no rigoroso inverno do Alasca.
Enquanto o casal se esforça para entendê-la uma criança que poderia ter saído das páginas de um conto de fadas, eles começam a amá-la como se ela fosse filha deles. No entanto, nesse lugar bonito e sombrio, as coisas raramente são como aparentam ser, e o que aprendem sobre essa misteriosa menina vai transformar a vida de todos eles.


Uma comovente história de amor que se estende por mais de 65 anos entre a gelada Leningrado da Segunda Guerra e o não menos frio Alasca. Para cumprir uma promessa ao pai em seu leito de morte, as irmãs Whiston deverão se esforçar e fazer com que a mãe lhes conte uma extraordinária história. 
Meredith e Nina vão, finalmente, conhecer o passado secreto de sua mãe e descobrir uma verdade tão terrível que abalará o alicerce de sua família... E mudará tudo o que elas pensam que são.


 
Tessa Russo está comemorando seu aniversário de casamento, com seu belo marido, Nick, um cirurgião plástico pediátrico, quando seu pager toca. No hospital, ele conhece seu novo paciente, Charlie de 6 anos, que foi gravemente queimado enquanto brincava na casa do amigo. A mãe de Charlie, Valerie, uma advogada bem-sucedida, que criou Charlie sozinha, se sente culpada. Como Charlie passa por diversos enxertos e cirurgias para reparar os danos causados em seu rosto e mãos, Nick se aproxima de Valerie. Tessa, uma dona de casa que tem dúvidas sobre deixar sua profissão, reconhece o crescente distanciamento entre ela e Nick, mas não está certo sobre a quem atribuí-lo ou o que fazer sobre isso.



Na noite de Natal, uma tempestade de neve transforma uma pequena cidade num inusitado refúgio para encontros românticos. Em “Deixe a Neve Cair”, bem sucedida parceria entre três autores de grande sucesso entre os jovens, John Green, Lauren Myracle e Maureen Johnson escrevem três hilários e encantadores contos de amor, com direito a surpreendentes armadilhas do destino e beijos de tirar o fôlego. E provam que o amor verdadeiro pode acontecer quando e onde menos se espera.




 
Book e Cofee Copyright 2014 ©
Designe By
- Kris Monneska Conversas de Alcova